Siga-nos nas redes sociais:

Conheça a história do Padre Jailson

No dia 17 de maio, uma semana após sua posse, tive o prazer de conversar com o Padre Jailson. Conheça o nosso novo vigário, cujo lema é: gratidão.

A começar pela sua história, o Padre Jailson é de Pernambuco, mas fora criado em São Bernardo do Campo, cidade onde seus pais ainda residem. Cultiva um carinho especial pela diocese de Santo André, uma vez que esta é responsável pela sua formação cristã inicial e onde atua até hoje. Com 18 anos entrou na ordem religiosa franciscana e posteriormente na congregação “Filhos da Caridade”, onde fora ordenado no dia 04/06/2018, na paróquia Nossa Senhora de Fátima em São Bernardo. Atuou ainda por dois anos em Santo André, na paróquia Nossa Senhora do Rosário. Antes de se tornar nosso novo vigário, atuou em uma missão na Colômbia por um ano, onde, segundo ele, viveu uma experiência valiosa, porque mostrou “como a Igreja evangeliza e vai no encontro das pessoas”; na região do ABC entre 2014-15 atuou como seminarista e em 2019 com os jovens da paróquia São Felipe na Jornada Mundial da Juventude do Panamá.

Quando perguntei sobre sua experiência na paróquia em tempos tão difíceis, sua resposta foi tranquilizadora e esperançosa. Disse que vivemos em um período delicado que constantemente nos coloca em xeque; comparando os fiéis a um rebanho, disse que é difícil nunca ter visto suas ovelhas e tocado em seu povo: “o pastor e a ovelha sentem falta um do outro”. Pediu também para não desanimarmos, porque, uma vez que essa situação passar, iremos nos reencontrar ainda mais fortes, com um relacionamento espiritual mais profundo e como ovelhas renovadas em Deus.

Segundo o nosso vigário,o papel da Igreja nesse período é “simples”: “ela é um campo espiritual, crê na ciência e na caminhada conjunta entre a fé e a razão. Valorizamos a vida, e é por isso que apenas fisicamente estamos fechados”. Prosseguiu dizendo que a enxerga como “uma mãe que forma, educa, cuida e sofre com as perdas e angústias do momento”. Comentou também sobre como a obediência da Igreja ao governo e às organizações de saúde são necessárias agora. Enquanto isso, a igreja se ampara como pode através de orações e doações.

Por fim, deixou uma mensagem para a comunidade: “Eu estou aqui para servir. Através de Deus, o padre conduz o seu povo. Estamos juntos! Vivendo em um novo tempo com sinais de esperança, fé e confiança em Deus. Tomemos na mão a cruz e com Jesus e Nossa Senhora nos tornemos fiéis novos e fortes. Logo estaremos juntos para celebrar. Gratidão.”

Nota do padre: agradeço aos padres Cláudio, Manuel e Joaquim, em meu nome e em nome da paróquia, por todo o auxílio, fraternidade, serviço e alegria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais
Posts Relacionados
Dona Joaquina, exemplo de solidariedade

Dona Joaquina, exemplo de solidariedade

Nascida no dia 22 de agosto de 1930 na cidade de Felixlândia, município de Minas Gerais, a Dona Joaquina cresceu em uma família tipicamente grande para a época: oito filhos,

Conheça a história do Padre Jailson

Conheça a história do Padre Jailson

No dia 17 de maio, uma semana após sua posse, tive o prazer de conversar com o Padre Jailson. Conheça o nosso novo vigário, cujo lema é: gratidão. A começar

Quaresma: como viver?

Quaresma: como viver?

Daqui a 40 dias, Cristo será entregue por nós Antes de pensarmos em como viver a Quaresma, é fundamental refletirmos sobre o que ela simboliza e qual a sua importância.

Os santos negros

Os santos negros

Quando pensamos em santos negros, quem é que primeiro nos vêm à cabeça? É comum que se pense na Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. Mas em novembro, se celebra

Reunir a comunidade na Palavra

Reunir a comunidade na Palavra

"A messe é grande, mas os operários são poucos". Uma frase tão comumente dita pelo Diácono Celso, não só expressa a necessidade de leigos na Igreja, como também na sua

O que são as garagens?

O que são as garagens?

A Garagem de Oração é uma iniciativa dos jovens da Comunidade São Benedito (Kairós) que foi iniciada em 2018 e abraçada também pela Comunidade Santa Lídia (Maranathá). Os encontros acontecem