Siga-nos nas redes sociais:

A origem da festa de Corpus Christi

Todas as quintas-feiras depois da oitava de Pentecostes, a Igreja celebra a festa de Corpus Christi, mas nem sempre foi assim. Não existem registros do culto ao Santíssimo Sacramento fora da missa no primeiro milênio. Neste período, a Eucaristia ministrada fora da missa era apenas para os doentes.

A partir do segundo milênio começa-se a notar alguns costumes eucarísticos, como a exposição e a Bênção do Santíssimo, o uso dos sinos durante sua elevação na missa, e também a festa de Corpus Christi. O centro onde essas movimentações surgiram foi a Abadia de Cornillon, em Liége, na Bélgica.

Foi lá que Santa Juliana de Cornillon teve uma revelação particular, em que recebeu de Jesus o pedido para que fosse introduzida no Calendário Litúrgico da Igreja a festa de Corpus Domini. Durante anos, Juliana conservou em segredo essa revelação, até confiá-lo a duas adoradoras fervorosas da Eucaristia: Eva e Isabel. Depois, comunicou também a Dom Roberto de Thorete (bispo de Liége), Jacques Pantaleón (mais tarde Papa Urbano IV) e João de Lausanne, pedindo que ele interpelasse teólogos sobre o tema.

Foi Dom Thorete que, após hesitações iniciais, aceitou instituir a solenidade em sua diocese. Mais tarde outros bispos o imitaram até se tornar uma tradição em toda a Bélgica.

Milagre de Bolsena

Em 1264, após a morte do Papa Alexandre IV, o cardeal Jacques Pantaleón foi eleito o novo Papa, Urbano IV. Neste mesmo ano aconteceu o Milagre de Bolsena.

Durante uma viagem de Praga (atual capital da República Tcheca) a Roma, um sacerdote que duvidava de que o pão se tornava de fato o Corpo de Cristo, ao celebrar uma missa na cidade de Bolsena, Itália, viu escorrer sangue da Hóstia Consagrada, banhando o corporal, os linhos litúrgicos e também a pedra do altar.

Impressionado com o que viu, o sacerdote correu até a cidade de Orvieto, onde residia o Papa. Este mandou a Bolsena o Bispo Giacomo, para ter certeza do ocorrido e levar até ele os panos ensanguentados. A relíquia foi levada em procissão a Orvieto em 19 de junho de 1264.

Movido pelo fato e pelas visões de Santa Juliana, o Papa estendeu a festa de Corpus Christi para toda a Igreja, em 11/08/1264. Sua morte, dois meses depois, prejudicou a difusão da festa. Mais tarde, em 1311, o Papa Clemente V voltaria a determinar a adoção da festa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais
Posts Relacionados
Programação da Semana Santa 2024

Programação da Semana Santa 2024

24/03/2024 - 9h00 - Domingo de Ramos: Procissão de Ramos saindo de cada comunidade (N. S. das Dores será junto com a Matriz Paroquial); missa única de Ramos às 10h00

Programação da Festa de Santo Oscar Romero 2024

Programação da Festa de Santo Oscar Romero 2024

21/03/2024 - 19h00: 1º Dia do Tríduo de Santo Óscar Romero - Missa por Cura e Libertação com Bênção do Santíssimo com o Padre Sidcley; 22/03/2024 - 19h00: 2º Dia

Tanus e Vilma: música e companheirismo

Tanus e Vilma: música e companheirismo

Quem frequenta as missas na Comunidade Santo Óscar Romero certamente já viu o coral do Tanus e da Vilma cantando. Poucos sabem que a história dos dois começou na própria

Óscar Romero: mártir da América

Óscar Romero: mártir da América

Neste mês de março, a Igreja celebra a festa litúrgica de Santo Óscar Romero. Monsenhor Romero, enquanto arcebispo de San Salvador, trabalhou sempre tendo em vista a união e o

O Fusca do padre

O Fusca do padre

O ano de 2024 chegou trazendo consigo muitos desafios para as nossas comunidades. São muitas coisas a serem feitas, entre serviços de reparos, reformas e modernização, bem como adequações legais

João e Fortunata: uma vida de amor

João e Fortunata: uma vida de amor

João Lopes de Souza e Fortunata Pinheiro de Souza nasceram na cidade de Bananal/SP; ele em 16 de maio de 1930 e ela em 02 de maio de 1935. João