Siga-nos nas redes sociais:

A festa junina no Nordeste

Os festejos em homenagem à São João e Santo Antônio acontecem em todo país, mas foi no Nordeste que eles se tornaram tradição. Em tempos normais, milhões de turistas do mundo inteiro se reuniriam nesta época do ano para curtir ritmos como o forró e a cabrueira.

Não faltam comidas e trajes típicos, e além de fazer a alegria da população, esse é um evento de grande importância cultural e econômica para a região. De modo geral, as festas ocorrem em áreas montadas exclusivamente para elas.

Trazidas ao Brasil pelos portugueses, as festas ganharam maior popularidade no Nordeste. Na região, os festejos são regados de danças típicas, como as quadrinhas, que reúnem centenas de pessoas em compassos sincronizados e divertidos. Já quanto aos estilos musicais, os que predominam são o forró, o sertanejo universitário e o cabrueira.

Os trajes típicos não podem faltar. Vestidos e camisas xadrez, chapéus de palha e maquiagens características são de lei. Isso sem falar das comidas típicas, que são de dar água na boca. Os mais conhecidos são o quentão, a canjica, o pé de moleque, além de muitos outros pratos feitos de milho.

Comidas

O ingrediente mais utilizado é o milho, mas também é muito comum encontrar itens à base de amendoim, cachaça, vinho e polvilho. Entre as comidas típicas do São João nordestino, destacam-se o bolo de milho verde, a baba de moça, a canjica, a pamonha e o biscoito de polvilho.

Danças e ritmos

O forró é um dos gêneros mais tradicionais nordestinos. Há aqueles mais clássicos e também o estilo universitário, mais atual. Não podemos deixar de falar da quadrilha. Com origem francesa, ela foi trazida pelos portugueses e foi rapidamente incorporada às tradições populares.

Decorações e vestimentas

Balões e bandeirinhas são responsáveis por dar o toque caipira à decoração. Estampas xadrez são coisas que jamais devem ficar de fora, bem como o chapéu de palha, que podem ser usados tanto como vestimenta quanto como decoração. Listras, estampas florais, remendos, rendas, cetim e fitinhas são outras opções a serem exploradas. Claro que não podíamos deixar de falar na fogueira, que serve para esquentar e reunir pessoas ao redor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais
Posts Relacionados
Programação da Semana Santa 2024

Programação da Semana Santa 2024

24/03/2024 - 9h00 - Domingo de Ramos: Procissão de Ramos saindo de cada comunidade (N. S. das Dores será junto com a Matriz Paroquial); missa única de Ramos às 10h00

Programação da Festa de Santo Oscar Romero 2024

Programação da Festa de Santo Oscar Romero 2024

21/03/2024 - 19h00: 1º Dia do Tríduo de Santo Óscar Romero - Missa por Cura e Libertação com Bênção do Santíssimo com o Padre Sidcley; 22/03/2024 - 19h00: 2º Dia

Tanus e Vilma: música e companheirismo

Tanus e Vilma: música e companheirismo

Quem frequenta as missas na Comunidade Santo Óscar Romero certamente já viu o coral do Tanus e da Vilma cantando. Poucos sabem que a história dos dois começou na própria

Óscar Romero: mártir da América

Óscar Romero: mártir da América

Neste mês de março, a Igreja celebra a festa litúrgica de Santo Óscar Romero. Monsenhor Romero, enquanto arcebispo de San Salvador, trabalhou sempre tendo em vista a união e o

O Fusca do padre

O Fusca do padre

O ano de 2024 chegou trazendo consigo muitos desafios para as nossas comunidades. São muitas coisas a serem feitas, entre serviços de reparos, reformas e modernização, bem como adequações legais

João e Fortunata: uma vida de amor

João e Fortunata: uma vida de amor

João Lopes de Souza e Fortunata Pinheiro de Souza nasceram na cidade de Bananal/SP; ele em 16 de maio de 1930 e ela em 02 de maio de 1935. João